Sobre a Caranha

A História do peixe Caranha

Um dos mais belos peixes que esta lagoa já produziu. Seu tamanho exuberante, sua aparência dourada, sua carne tenra e nobre são inigualáveis. Reza a história do pescador: “na lua cheia de janeiro a março o peixe vem brincar”.

caranhas

É nessa época sazonal que a Caranha atinge sua fertilidade. O cio da vida eclode seu corpo. Elas deixam suas tocas escuras e misteriosas vindo a superfície saudar a vida.

Na dança da fertilidade seus corpos se lançam e entrelaçam. O macho lança a semente da vida. A fêmes protetora da vida guarda em seu ventre. Aos olhos leigos esta festa do cio mais parece crianças a brincar.

O vigia atento, avisado pela lua, espreita a chegada da dança de fertilidade. Com olhos de águia, vê Caranhas emergindo seu solto brincar. Acena aos companheiros “Caraaaaaaaanha!” é o grito que sai de suas entranhas. Repentinamente, braços envolvem o grande bote. Remos velozes e apressados cortam as águas da calma lagoa.

Pescadores bradam de alegria: “a rede seja lançada a bordo”. A pesca será abundante. O dilema da sobrevivência e da preservação da vida se entrecruzam. Hoje as Caranhas vivem em paz na lagoa. Sua pela já não está a caça. O vigia não mais vigia. Sua lembrança está na memória e reina de todos os filhos desta terra.